Por que se preocupar mais com engajamento do que com participação?

No post da semana passada falei um pouco sobre como algumas empresas empregam a lei do voluntariado. Nele, ao abordar o assunto sobre “saber engajar colaboradores” me lembrei desse texto da Realized Worth, escrito pelo Chris Jarvis, chamado Participation Rates and the Perils of Conformity (Taxas de Participação e os Riscos da Conformidade), que achei muito intrigante e cujos principais pontos traduzi abaixo. Espero que gostem! Estou aqui curioso para saber com o que vão concordar ou discordar! Ou minimamente dizer: ual! Será que isso acontece? 1. Por que a participação é importante? Entre as equipes de RSE e de Investimento Social Privado, a medida mais importante de sucesso para programas de filantropia (arrecadações diversas) e de voluntariado versa tipicamente […]

Continuar lendo


6 maneiras de estimular a cooperação em sua equipe

Quantas vezes você já fez algum favor por uma pessoa querida e pensou: “Vai dar um trabalhão, mas pelo Fulano eu faço”? Isso acontece porque a vontade de cooperar tem muito a ver com a relação que você tem com quem está envolvido na tarefa. É assim na vida pessoal e também nas empresas. Como disse a Marcela, aqui da V2V, outro dia em um almoço: “muitas vezes, quando um colega de trabalho nos pede algo, fazemos um esforço especial simplesmente porque temos uma boa relação com aquela pessoa”. Mas o afeto não é o único motivo pelo qual um funcionário ajuda seu colega de trabalho. Mesmo quando as pessoas mal se conhecem ou têm pouco contato, é possível estimular a cooperação […]

Continuar lendo