5 benefícios da formação de voluntários

A ideia de escrever esse artigo partiu da experiência de quase 20 anos do V2V com voluntariado e de alguns insights que o nosso time vem tendo ao longo dos últimos anos durante treinamentos e formações de voluntários. Claro que cada empresa e cada voluntário tem sua particularidade pois no final das contas, estamos sempre lidando com diversidade. Porém algumas conclusões e reflexões são comuns a quase todas as capacitações.


Ao longo dessa matéria vou citar os benefícios de uma capacitação de voluntários mostrando características que em geral são bem comuns.

A base de tudo

Em primeiro lugar é importante dizer que capacitar pessoas para qualquer área de atuação em que se proponham a participar é essencial para desenvolver a atividade de forma assertiva e adaptada. Qualquer profissional de qualquer área passou antes por uma especialização, seja um curso técnico, universidade ou ensino a distância. E se a capacitação para qualquer fim é tão valiosa, por que no voluntariado isso seria diferente?

Vamos aos benefícios


1) Compartilhamento dos pontos de vista

Algo que fica claro durante as capacitações é como os voluntários ficaram satisfeitos com a possibilidade de expressarem seu pontos de vista e reflexões em relação aos erros e acertos das ações voluntariado. Escutar quem se coloca na linha de frente é tão importante quanto acessar elementos de gerenciamento do Programa. Durante uma capacitação, existe sempre a presença de um mediador principal e de um facilitador e ambos estão preparados para administrar conflitos, divergências ideológicas e decodificar mensagens de forma que sejam compreendidas por todos os envolvidos, principalmente gestores e voluntários.

2) Alinhamento das expectativas

Administrar expectativas é um desafio constante na vida de qualquer indivíduo e isso vale para os setores profissional e pessoal. Uma grande parte dos problemas no curso de uma ação são gerados por falta de alinhamento das expectativas, principalmente as dos voluntários. Proponho aqui um exercício básico e super importante: o desenvolvimento da empatia. Esse tema pode parecer batido mas a relevância é enorme. Quando um colaborador se inscreve para participar de uma ação voluntária é muito natural que seja despertada dentro dele uma expectativa de transformação, interação e gratidão. Porém em muitos casos, essas esperanças acabam sendo frustradas. Em um dos treinamentos que o V2V promoveu, alguns voluntários mencionaram a situação de uma das escolas em que atuaram na reconstrução e reforma. O que esperavam por parte da diretoria e funcionários do colégio era uma interação com o projeto e satisfação com os resultados, no entanto, eles se depararam com a situação oposta: negligência, falta de interesse e indiferença em relação ao projeto.

Obviamente um colaborador que não foi preparado para esse tipo de feedback e não teve suas expectativas alinhadas vai ter muito menos vontade de participar das próximas ações.

Durante a capacitação, os voluntários recebem um treinamento nesse sentido e as chances de continuarem a se engajar com o Programa da empresa independente das frustrações, é muito maior.

3) Construção coletiva

A construção coletiva durante uma capacitação é um dos aspectos mais incríveis do processo. A quantidade de insights, ideias e projetos que aparecem é sempre muito surpreendente. Como tudo é cocriado, o nível de satisfação dos participantes é sempre muito elevado. Cada experiência pessoal é muito válida e todos conseguem contribuir durante o processo, dessa forma, todos se sentem peças fundamentais (e realmente são) do Programa de Voluntariado. A figura de um facilitador permite que temas específicos sejam abordados de acordo com a particularidade de cada Programa e assim é possível sempre manter o foco no objetivo comum traçado.

4) Visão ampla de questões específicas

Aqui se encontra o grande pulo do gato de uma capacitação. Através de um briefing específico cada empresa recebe um tipo de trabalho personalizado e adequado a sua realidade. O voluntariado tem inúmeros aspectos que podem e merecem ser abordados mas quais são as questões específicas da sua empresa? Quais problemas ocorrem durante o desenvolvimento do seu Programa de Voluntariado? Quais são os seus principais desafios. É importante deixar todos esses pontos esclarecidos pois isso garante um aproveitamento muito maior da capacitação.

5) Resultados inesperados (e isso é bom)

É muito emocionante ver o resultado de um dia de capacitação. No final do processo os voluntários e gestores estabelecem uma conexão muito maior e acabam construindo um caminho comum de atuação. Muitos são os relatos positivos no final de um projeto e para finalizar esse artigo, resolvi citar alguns deles:

“Foi ótimo ter um dia inteiro dedicado a pensar sobre o Programa de Voluntariado, fora do ambiente de trabalho.”

“Gostei de parar para olhar para o voluntariado como algo fundamental.”

“Foi muito inspirador, uma aula.”

“Gostei de ser instigado a pensar e colocar as ideias no papel.”

“Uma oportunidade de ter mais tempo com o comitê para tratar dos assuntos com calma.”

Mais algumas dicas

1 – Levar a equipe de uma empresa para fora do ambiente corporativo é fundamental também para que não ocorram distrações. Um ambiente propício em que os voluntários fiquem 100% focados no processo de capacitação traz resultados extremamente importantes. Tudo que é construído é documentado e compilado junto a um plano de ação. O que levaria meses pra nascer acaba acontecendo em uma tarde e o programa toma uma proporção e velocidade muito diferentes dos que conseguidos usualmente durante uma rotina de trabalho em que as atenções são divididas e o voluntariado é uma pequena parte do cronograma de um dia inteiro.

2 – É muito importante brifar da forma mais detalhada possível a empresa que for contratada para a capacitação. Isso economiza tempo e dinheiro e os resultados do processo sempre são muito melhores.

3 – Como material de apoio indico a leitura de mais dois artigo aqui do blog: 

– Saiba o que é importante na hora de fazer a formação inicial dos voluntários

– Como estruturar e desenvolver Comitês de Voluntariado

Finalizando 

Para Se a sua empresa não vislumbrava proporcionar aos voluntários um projeto de capacitação, espero que esse artigo tenha ajudado um pouco a esclarecer a importância de treinar seres humanos para lidarem com outros seres humanos. Apesar de todos nós termos uma linguagem comum, cada um de nós tem suas questões específicas provenientes de cada caminho que cada indivíduo traçou e por isso é muito importante que todos fiquem na mesma página. Boa sorte no seu Programa!


(Visited 182 times, 1 visits today)
Renata Bonito

Renata Bonito

Publicitária, Analista de Novos Negócios na V2V.

More Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.