Por que se preocupar mais com engajamento do que com participação?

No post da semana passada falei um pouco sobre como algumas empresas empregam a lei do voluntariado. Nele, ao abordar o assunto sobre “saber engajar colaboradores” me lembrei desse texto da Realized Worth, escrito pelo Chris Jarvis, chamado Participation Rates and the Perils of Conformity (Taxas de Participação e os Riscos da Conformidade), que achei muito intrigante e cujos principais pontos traduzi abaixo. Espero que gostem! Estou aqui curioso para saber com o que vão concordar ou discordar! Ou minimamente dizer: ual! Será que isso acontece? 1. Por que a participação é importante? Entre as equipes de RSE e de Investimento Social Privado, a medida mais importante de sucesso para programas de filantropia (arrecadações diversas) e de voluntariado versa tipicamente […]

Continuar lendo


Como o voluntariado pode contribuir para uma cultura política mais participativa

Por *Marcela Marchi Você já parou para pensar o que o voluntariado tem a ver com a política? Bom, na minha visão, praticamente tudo. O voluntariado nasceu da intenção de se ajudar algo ou alguém em uma situação vulnerável. Ainda que nos seus primórdios o voluntariado tenha sido baseado no assistencialismo e inspirado principalmente em princípios religiosos, por muitas vezes acabou por auxiliar o Estado no exercício de suas funções, seja diminuindo a miséria, distribuindo recursos ou amenizando implicações de situações extremas como a falta de comida ou água. E como fenômeno mais recente, as empresas também começaram a participar mais ativamente de ações sociais, ambientais, culturais e políticas, sendo hoje em dia também grandes agentes na promoção do voluntariado. […]

Continuar lendo