O que fazer para manter o voluntariado um divergente positivo na reta final de 2018?

Essa é a semana do Dia Internacional dos Voluntários. E no mês de novembro em nosso blog falamos de forma ampla em como realizar uma celebração engajada para o Dia Internacional do Voluntariado, citando desde exemplos mais simples até ações que precisavam de um pouco mais de estruturação, para que você, enquanto gestor de um programa de voluntariado, pudesse se inspirar e organizar algo na sua empresa. O post em referência, foi inteiramente pautado pelo chassi dos 17 ODS e se você não viu, pode ir lá dar uma conferida.

E hoje, qual o estado do voluntariado na sua empresa nesse final de 2018?

Como ficaram as ações de engajamento depois das convulsões geradas pelo recente processo eleitoral?

Ainda numa “vibe” ou espécie de “ressaca”, também em novembro, mostramos que os obstáculos para o voluntariado no Brasil nos próximos anos podem ser muitos, diante de desafios que passam, dentre outros, por unir nossa sociedade novamente em harmonia, na direção de um bem comum, sem separações, mais próspera, e sempre, sempre: inclusiva.  

A reflexão que isso me gera é: estamos em um momento de ressignificação do voluntariado no Brasil? Estamos em ressignificação do Brasil?

Logo, estamos em ressignificação do voluntariado empresarial no Brasil?

A resposta que me vem de imediato é que sim, em certa medida estamos em tempo de ressignificação de tudo isso, mas como fazer?

Infelizmente especialistas podem ter pistas mas não sabem como responder pois as variáveis macro-sócio-econômicas são imensas. Pode ser preciso se recolher e esperar um pouco.

E para esse fim de ano, para além de esperar a poeira assentar, o que se pode fazer enquanto gestor de voluntariado? Se eu fosse terapeuta, poderia inferir que os sentimentos oscilam entre a força de vontade de “botar para quebrar” e algum desânimo ou impotência, estou correto?

Então o que conceber para manter o voluntariado como um divergente positivo nessa reta final de 2018?

Fiquei pensando em algumas atitudes e resolvi compartilhar com vocês.

1- Reconheça tudo de bom que já aconteceu esse ano

Certamente muita coisa boa aconteceu no programa de voluntariado, e está no momento de ressaltar isso dando a cara do voluntariado. Dê parabéns para um mínimo de resultado alcançado. Dê força para quem agiu! Valorize os passos dados. 

2- Ressalte o rosto, o nome e o sobrenome da solidariedade

Vai ser bom para você também enquanto gestor desse assunto: navegue pelo álbum de memórias, pare algum tempo sobre as fotos, perceba o que aconteceu naqueles momentos de troca e boas ações. Nesse âmbito do “sentir” o seu programa, escolha pessoas, rostos, e nomes de pessoas que representaram o melhor do espírito do voluntariado e compartilhe essas caras e nomes!

Você pode fazer um post no seu portal, ou um mural, ou alguma comunicação interna destacando essas pessoas, dando força para as mesmas e mostrando para todos os colaboradores da empresa: em meio a tanta “reclamação” muita gente fez a diferença por meio de ações!

3- Publique depoimentos

Busque depoimentos das instituições parceiras que receberam o seu voluntariado e repasse, torne viral seu agradecimento e perceba a onda boa que gera esse gesto de gratidão. Deixe os números para os relatórios, está na hora de sermos muito humanos.

4- Mostre como o voluntariado traz uma cultura de paz

Tente compartilhar como que o voluntariado é o exercício da paz na nossa sociedade, através do sentimento de união que ele gera entre as equipes e as pessoas! Estou muito numa fase de compartilhar fotos, acho que imagens de um time unido, feliz, e fazendo o bem pode falar muito mais do que um textão de reporte de números.

5-Agradeça mais um pouco  

Tente garantir mensagens de gratidão para pessoas que possibilitaram o exercício do voluntariado na sua empresa: uma mensagem para os gestores que foram apoiadores, um cartão de fim de ano para os parceiros, uma declaração de agradecimento para os voluntários. Dê luz para o que foi bom, pois de novo: uma coisa boa puxa outra coisa boa.

6-Surpreenda seus voluntários

Tente garantir mensagem de familiares e colaboradores não funcionários fazendo agradecimentos e reconhecimentos surpresa para os voluntários pelas instalações das empresas. Pessoas do círculo afetivo reconhecendo esse esforço é muito valioso e potente.

7(sete para dar sorte)- Compartilhe as competências positivas que se adquire no exercício do voluntariado

Compartilhe os ganhos pessoais de ser voluntário: o aprendizado de diferentes realidades, a aquisição de competências de liderança, de gestão de recursos, de falar em público e de gestão de tempo, por exemplo.

Essas e outras atitudes simples nessa linha podem gerar um movimento que vai na contramão de qualquer resquício de negativismo e baixa auto estima que exista.

Ilumine o que há de bom!

Ilumine as pessoas voluntárias que dedicam seu tempo ao cuidado e ao desenvolvimento social.

Ilumine 🙂

E, ah, antes que eu me esqueça:

Feliz Dia Internacional dos Voluntários!!!

Essa chama nunca vai se apagar, porque compõe a natureza humana!

 

(Visited 90 times, 2 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.