Sugestão de ação voluntária: os heróis nacionais e suas histórias

Heróis nacionais são construídos por versões da história ensinadas formalmente nas escolas, ou informalmente, quase sempre oralmente, entre gerações. Tradição, cultura, identidade e autoestima de um povo, dentre outras palavrinhas desse tipo, sofrem interferências intencionais (ou não) do conjunto de heróis e seus feitos que são propagados ou inventados.

Heróis?

Mas espera: por que não heroínas?

Heróis quase sempre são representações arquetípicas dos representantes de uma história contada por vencedores e seus inimigos. A historiografia está cheia desses casos, e mártires e mitos estão espalhados entre bustos, pinturas e páginas, quase sempre homens, brancos, de descendência europeia. Mas qual história se quer contar?

Pensando em transcender estes estereótipos, a ideia desta ação nasceu a partir da figura de Tiradentes, líder da Inconfidência Mineira e cuja imagem se celebra anualmente no dia 21 de abril no Brasil. A partir dele, queremos trazer uma reflexão sobre quem são os heróis ou heroínas do nosso país, incentivando as crianças a conhecerem mais sobre nossa história. Mas a ação pode ser promovida em qualquer época do ano, incentivando a memória de um povo a partir do máximo possível de heróis e heroínas que se possa mapear.

A ação

Essa sugestão de ação consiste num levantamento de biografias de heróis e heroínas nacionais na internet para ser conversado em grupos de crianças da família, da comunidade, de uma escola pública ou entidade parceira.

Os colaboradores voluntários poderão fazer essa pesquisa aproveitando para envolver também seus filhos e filhas. Em seguida, a missão é transformar esse conteúdo pesquisado em um material de fácil entendimento, visualmente atrativo, para ser apresentado às crianças da organização escolhida.

Dica: os voluntários também podem fazer uma ação com foco em heroínas mulheres, ou negros, ou heróis da cidade onde ocorrerá a ação, ou qualquer outro recorte que faça sentido para aquela data comemorativa ou o público com o qual está trabalhando.

E o melhor material, sob voto popular, será premiado.

Passo a passo

1) Constitua um grupo afeto ao tema

Essa etapa tem muito a ver com quem é o público alvo da sua ação de voluntariado, se são escolas públicas ou entidades que trabalhem com crianças. É de extremo valor que você, gestor de voluntariado, e os voluntários procurem os responsáveis por essa instituição para entender o enquadramento da ação na sua programação regular. Em geral, o gancho pode ser uma data comemorativa. Em abril no Brasil temos:

  • 6 de abril a 7 de abril de 1827 – Batalha de Monte Santiago: episódio da Guerra da Cisplatina – divisão naval Argentina é destruída pela Marinha Imperial do Brasil próximo ao litoral argentino;
  • 18 de abril de 1882 – Nascimento do escritor brasileiro Monteiro Lobato;
  • 19 de abril – Dia do Índio;
  • 21 de abril de 1792 – É executado, no Brasil, o mártir da Inconfidência Mineira Joaquim José da Silva Xavier, conhecido como Tiradentes;
  • 22 de abril de 1500 – Descobrimento do Brasil por Pedro Álvares Cabral;
  • 28 de abril – Dia da Educação;
  • 30 de abril – Dia Nacional da Mulher.

Quais são as datas comemorativas do mês de abril na sua localidade quem podem ser levadas em consideração para essa ação?

Após acordado um melhor momento, público alvo (turmas, idades, turnos) é hora de voltar para casa e convidar os voluntários para colocarem a mão na massa. Lance o convite nos canais de comunicação interna da sua empresa, apresentando o objetivo da ação por completo. Mobilize as famílias: este é um trabalho voluntário ideal para ser feito entre pais e filhos.

2) Pesquisa bibliográfica

Em casa, ou em pequenos grupos nas instalações da empresa, estimule que os participantes pesquisem na internet ou em livros didáticos quem são os heróis e heroínas que serão focados na sua apresentação.

Algumas dicas que você pode levar em consideração:

  1. Pesquisar heróis ou heroínas relacionadas às datas comemorativas do mês de abril;
  2. Pesquisar heróis e/ou heroínas nacionais;
  3. Pesquisar heróis e/ou heroínas que a história deixou esquecer, mas que tem relevância para a sua comunidade ou país.

Pessoalmente, tenho preferência pelas descobertas que o terceiro item podem trazer.

Leve em consideração que, quanto mais relacionados aos nossos temas comunitários, sociais e ambientais, melhor os heróis estão envolvidos com os nossos valores do voluntariado. É um exemplo de luta social? De ética? De luta pela justiça? De defesa dos direitos humanos? Do meio ambiente?

Quem são os heróis das comunidades com os quais trabalham?

Valide sua lista de heróis com a instituição parceira com quem poderá partilhar essas histórias.

 3) Transformação do conteúdo visualmente

Em conjunto com os filhos, os voluntários deverão ser instruídos a listarem os principais pontos, feitos, conquistas e importância dos heróis escolhidos, e cada grupo de voluntários ou de família deverá produzir um material de comunicação dessa história. Você pode ajudar a providenciar esse material como cartazes, recortes de revistas e outros que tornem a ação muito mais divertida.

Essa história pode ser recontada pelos filhos dos funcionários através de:

  • histórias em quadrinhos
  • infográficos
  • cartazes

E esse material deverá ser fotografado, digitalizado e postado na sua ação do portal de voluntariado ou intranet, de acordo com a sua disponibilidade de recursos.

4) Partilha das histórias dos heróis

O legal dessa ação é que ela pode ser realizada apenas internamente na sua empresa entre colaboradores e familiares, mas pode e deve ir ao campo externo se tiver oportunidade.

E em conjunto, voluntários e seus filhos, mais os filhos da comunidade ou das entidades beneficiárias é onde a maior parte do aprendizado acontece. Às vezes, só a presença e o contato “intercultural” já é suficientemente rico para o aprendizado de como funcionam diferentes realidades sociais. De posse do material produzido, o conteúdo deve ser apresentado de forma interativa em turmas, de preferência colocando as crianças em círculos. A dinâmica pode ser a seguinte:

  1. Apresentação dos componentes: nome, idade, por que estão ali (pela preservação da memória dos heróis nacionais);
  2. Definição do que é um herói para aquele grupo, diferenciando especialmente dos super-heróis ou outros erros de interpretação que possam haver;
  3. Apresentação dos heróis utilizando o material visual produzido, certificando de que seu nome, feitos e importâncias sejam compartilhados;
  4. Trocas de saberes: todos devem trazer à tona quais são os ouros heróis ou heroínas que conhecem, quais são os mais valorizados, quais são os que deveriam ser mais valorizados, e quais são ao seu ver, os heróis e heroínas de suas realidades;
  5. Registro coletivo: o material ilustrado poderá ser reconstruído ou multiplicado junto com a turma em que o assunto foi discutido. Novas histórias em quadrinho podem ser feitas, novos cartazes, infográficos, “recontação” da história, “re-ilustração” do conteúdo… Como resultado, teremos produto coletivo que poderá ficar na instituição ou ser registrado para anexar junto ao registro primário (do passo 3).

Certifique-se enquanto gestor de voluntariado de providenciar o material necessário, de avaliar a ação e de comemorar.

5) Concurso do melhor conteúdo

Esse não é um item obrigatório, mas que pode ser muito legal de ser feito. A partir de um quiz utilizando o seu portal de voluntariado, sua intranet, ou votação presencial do material, promova internamente uma votação do conteúdo produzido nos passos 3 e 4. Distribua algum prêmio de valor simbólico às famílias que contribuíram de alguma forma para resgatar os heróis e heroínas esquecido(as) do nosso país!

Gostou dessa ação?

Fale conosco, vamos trocar ideias!

Dia Nacional de Voluntariado

 

(Visited 197 times, 1 visits today)
Avatar

Bruno Barcelos

-Treze anos de significativa experiência nas áreas de Sustentabilidade, Investimento Social Privado, e Voluntariado, com foco em planejamento, gestão, monitoramento, e avaliação de iniciativas privadas e públicas. Bem como experiência em gestão (estratégica – operacional) empresas e em ONGs e articulação entre parceiros dos setores diversos. Amplo experiência no desenvolvimento de assessorias, capacitações e palestras nos temas acima citados, adicionalmente às expertises em prospecção, atendimento, negociação, venda, e na criação/customização de soluções para empresas de grande, pequeno e médio porte nos temas correlatos.

More Posts - LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.