5 maneiras de pensar ações criativas de voluntariado

ações criativas

Existem diversas formas de atuação para um trabalho voluntário. Ele pode ser individual, coletivo, presencial, a distância, prestado para uma organização social, pessoa física, etc. Todo trabalho voluntário possui seu mérito e importância e é muito bem-vindo qualquer que seja o seu contexto. Mas aqui nesta matéria, gostaria de compartilhar algumas ideias de ações criativas, que fogem um pouco do que estamos acostumados a ver e mostram que existem infinitas possibilidades para quem tem vontade de fazer o bem, em todas as suas formas. 🙂

Este, inclusive, foi o tema do último encontro da rede V2V e a dinâmica trouxe debates tão interessantes que decidimos contar um pouco do que discutimos com o grupo.

A ideia da dinâmica foi de criar um mecanismo para que cada gestor de voluntariado pudesse pensar em ações diferentes dentro do contexto da sua empresa. Assim, foram definidas cinco maneiras de pensar “fora da caixa”:

 

1. Invertendo a lógica e quebrando a hierarquia

Uma das qualidades que mais me fascinam no voluntariado é que ele transforma tanto quem recebe, quanto quem doa, proporcionando crescimento mútuo. O voluntariado é sim uma troca e é por isso mesmo que é a situação ideal para invertermos a lógica e quebrarmos a hierarquia: podemos ensinar e aprender ao mesmo tempo, seja com crianças, jovens, adultos, idosos e até mesmo animais. Veja alguns projetos que já estão apostando nesta troca de papéis:

Idosos de abrigo dão aulas de inglês via internet

idosaO projeto “Speaking Enchange”, criado pela escola de idiomas CNA, conecta adolescentes que estudam na instituição com idosos que vivem em casas de repouso nos Estados Unidos. Ou seja, os idosos da casa de repouso, que em uma ação normal seriam visitados por pessoas dispostas a levar um pouco de alegria, aqui incorporam a posição de voluntário que está ajudando adolescentes a aprender inglês.

Crianças de escola municipal conscientizam população sobre o Dia do Pedestre

carroEm Guatapará – SP, crianças fizeram ações de conscientização sobre o Dia do Pedestre. As atividades incluíram passeata e entrega de folhetos informativos a pedestres e motoristas. O interessante desta ação é que na maior parte das vezes pensamos em fazer palestras em escolas, tendo os alunos como ouvintes, enquanto aqui eles é que são os agentes de transformação, transmitindo conhecimento aos outros.

 

2. Conectando diferentes causas

Outra qualidade muito bacana do voluntariado é que ele constrói pontes, nos conecta a causas, pessoas e projetos que nunca antes pensamos em conhecer. Por mais antagonistas que pareçam, muitas ações de voluntariado podem se complementar e ganhar força quando unidas, como por exemplo os projetos abaixo:

Metaleiros doam cabelo para participar de festival de rock

rockDe um lado, um grupo de pessoas querendo participar de um evento cultural. De outro, crianças com câncer precisam de perucas para aumentar a autoestima e amenizar os efeitos negativos da quimioterapia. Assim surgiu a ideia do Hairfest, no México, promovido pela Casa de La Amistad. Os metaleiros podiam escolher entre pagar a entrada (com preço equivalente a R$ 12,00) ou cortar a cabeleira em um salão montado na porta do espetáculo. A ação foi um sucesso!

Cães de rua ajudam na terapia de idosos

bichoterapiaProjeto utiliza cães de rua para ajudar na terapia de idosos esquecidos em asilos. A iniciativa Cão Terapia é um projeto piloto em Novo Hamburgo – RS e traz alegria aos cães, que em vez de ficarem trancados no abrigo podem sair pra passear, mas também para os idosos, que se divertem com a visita.

 

3. Atendendo um novo público

Muitas vezes somos limitados por alguns paradigmas e preconceitos da sociedade na hora de escolhermos o público com o qual atuar.

O voluntariado, porém, é o melhor caminho para quebrarmos estes tabus e ajudarmos a quem precisa, independente de raça, cor, religião etc. Separei aqui dois projetos que atuam em prol de ex-detentos e prostitutas:

Projeto mineiro traz nova vida a detentos e reduz a reincidência criminal

Instalações de uma das APACs

Em diversas cidades mineiras a APAC – Associação de Proteção e Assistência ao Condenado procura oferecer aos presidiários um ambiente propício para sua reinserção na comunidade como apoio psicológico e apoio para voltar ao mercado de trabalho. Nas unidades prisionais assistidas pela APAC a reincidência entre os egressos é de apenas 15%, enquanto no sistema comum este número é de 70%. Falamos mais sobre o assunto neste post aqui.

ONG DaVida busca fortalecer cidadania das prostitutas

prostituta

A moça da foto é Gabriela Leitte, prostituta do Rio de Janeiro que, ao se aposentar, dedicou sua vida a proteger os direitos de suas colegas através da ONG DaVida. Gabriela já faleceu, mas a organização permanece promovendo os direitos da profissão e buscando reduzir as vulnerabilidades da categoria.

 

4. Fazendo intervenções em locais públicos

Somos todos responsáveis por melhorar o ambiente em que vivemos, não é mesmo? Então por que não utilizar a força voluntária para cuidar, revitalizar e preservar nossos espaços públicos?

Muitas ações podem ser planejadas e organizadas junto ao poder público, somando esforços em uma construção coletiva. Assim como de forma independente podemos arregaçar as mangas e ajudar na limpeza e manutenção do patrimônio que é de todos. Confira aqui exemplos de quem já está investindo nesta ideia:

Aposentado planta 16 mil árvores em áreas abandonadas

arvores

Hélio da Silva, administrador aposentado de 62 anos, encontrou este meio para revitalizar áreas abandonadas na Zona Leste de São Paulo. Você pode ver mais detalhes nesta reportagem.

ONG dá vida a degraus de escadaria abandonada em São Paulo

escada

O lugar, que fica no bairro de Pinheiros, em São Paulo, era conhecido pelo acúmulo de lixo e pichações. Agora ganhou nova pintura e vai receber mobiliário urbano. A ação foi feita por voluntários da ONG e pessoas do local que aderiram à causa.

 

5. Ajudando de um jeito diferente

Ações tradicionais também podem ganhar uma abordagem diferente. Se o programa de voluntariado da sua empresa possui uma causa ou um público fixo de atuação, que tal trabalhar com ele de uma forma mais criativa ou inusitada?

Foi isso que essas duas ações fizeram por moradores de rua, afinal eles precisam de comida e roupa, mas também de cultura e arte! 🙂

Músicos convidam morador de rua para tocar junto com eles

violao

Em Salt Lake, nos EUA, um grupo de músicos que tocava na rua convidou um sem teto para participar da apresentação. Ele precisava apenas bater palmas, algo bem simples. O gesto foi um completo sucesso e empolgou a todos que pararam para escutar e prestigiar. Ao final, o convidado ganhou todas as gorjetas arrecadas durante o show. Neste link você pode ver a notícia e um belo vídeo da ação.

Moradores de rua são levados ao cinema

cinema No Rio de Janeiro, a Instituição Restaurante Graça levou 40 moradores de rua para uma sessão de cinema. Você pode ver a notícia completa aqui.

 

Bônus!

Nós do V2V oferecemos uma avaliação gratuita do seu Programa de Voluntariado. Essa avaliação é indicada para empresas que promovam pelo menos uma ação voluntária no ano, tenham 1.000 funcionários ou mais no Brasil e queiram ampliar a mobilização social na empresa. Conversarmos sobre o seu Programa e apontamos possibilidades criativas para aumentar o engajamento. Para saber mais e pedir sua avaliação gratuita, clique aqui.

 

E aí, gostou? Inspire-se com essas ideias e conte para nós a sua experiência.

Mãos a obra!

(Visited 26.970 times, 1 visits today)

2 comentários sobre “5 maneiras de pensar ações criativas de voluntariado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.