Protagonismo social em tempos de Coronavírus: como ajudar no controle da pandemia

Nesse post, diferente dos outros em que falamos sobre ações coletivas para o Programa de Voluntariado, vamos nos concentrar em falar de atitudes individuais que cada um pode adotar em seu cotidiano para ajudar na contenção do Coronavírus.

Estamos em quarentena. As ruas estão bem mais desertas que o habitual, estabelecimentos fechados ou trabalhando com o limite reduzido.

Esse é o cenário aqui na Europa e em outros países no mundo. No Brasil as pessoas estão ainda se mobilizando para compreender a gravidade da situação, e oxalá o COVID-19 não se espalhe de forma mais drástica no nosso país como em outros, vide a Itália.

Diante disso, da tensão, do abalo no sistema de saúde e da crise econômica, a incerteza do que fazer, de como se comportar, e mais do que isso, de como ajudar para que esse processo passe logo com o menor dos prejuízos possíveis, encontrei esse post da Impacton.org que pode nos dar algumas luzes.

Vou fazer aqui uma tradução bem livre do conteúdo e lá no link você pode conferir o conteúdo original se preferir.

O que eu posso fazer?

O post da Impacton.org é uma coleção gratuita, colaborativa e aberta de ideias e guias com instruções focadas em minimizar os efeitos colaterais desencadeados pela disseminação do Coronavírus ou COVID-19.

Então quais são os maiores desafios do momento?

  • Reduzir as chances de contágio, e você pode checar a evolução da pandemia aqui;
  • Organizar o trabalho remoto que teve acontecer de forma repentina;
  • Lidar com o isolamento e o medo;
  • Apoiar as famílias com crianças;
  • Dar suporte para os idosos;
  • Apoiar no acesso aos recursos básicos.

E diante deles, precisamos agir AGORA a fim de aumentar a conscientização, a capacidade local de reação e prevenção, especialmente nos países que ainda estão na “fase inicial” do contágio. Como no Brasil.

Aqui, priorizamos as melhores práticas que se concentram em ações imediatas para fins de isolar e proteger os idosos e os mais vulneráveis. Se você quer ajudar de alguma forma para além da grande ajuda que é ficar na sua casa, aqui estão alguns caminhos para amenizar a situação.

1) Reduza as chances de contágio.

  • Informe-se

É muito importante se informar sobre o vírus e saber as formas de prevenção

Eu procurei em alguns lugares, e o material mais didático no meu ponto de vista foi essa série de vídeos aqui. No entanto, se você tem outras sugestões, por favor deixe pra gente nos comentários.

  • FIQUE EM CASA !!!

Organize as suas atividades e fique em casa. Se a sua equipe ou empresa ainda não tomou essa decisão, promova você mesmo a conscientização. Mesmo quem é saudável e está fora do grupo de risco, pode transmitir o vírus e comprometer a saúde de outras pessoas, mesmo que de forma indireta.

  • Faça você mesmo o seu higienizador de mãos

Existem vários sites dando essa dica, e você pode ver essa daqui que é baseada nas instruções da Organização Mundial da Saúde (OMS).

  • Lave as mãos com sabão

Lavar as mãos com água e sabão comum por pelo menos 20 segundos ainda é a maneira mais eficaz de se manter desinfetado. Alguns especialistas indicam de 40 a 60 segundos.

Tão poucos segundos, uma ação tão simples e tão eficaz, não?

2) Crie conteúdo envolvente para informar sobre como evitar o contágio.

Se você está em casa sem saber o que fazer, aproveite para utilizar as redes para partilhar os conteúdos de credibilidade de uma forma leve, que não crie pânico ou dissemine fake news.

Tente produzir ou reproduzir materiais como esse, que contém as atitudes corretas de prevenção.

Use a internet para se conectar com as pessoas nesse momento.

No texto original do Impacton.org há a dica de você fazer vídeos de como manter as tradições locais, mesmo em casa, durante os períodos de reclusão. Como esse aqui abaixo, que é mesmo uma graça. 

3) Mobilize a comunidade em prol dos idosos e dos mais vulneráveis, estabelecendo redes locais de apoio.

  • Mapeie as necessidades do seu edifício ou da sua vizinhança

– Identifique se há idosos na sua região e verifique se eles têm boas condições em suas casas.

– Mobilize jovens e líderes comunitários para identificas idosos e pessoas com vulnerabilidades. Apoiando em ações como por exemplo: retirar o lixo, trazer comida e recursos essenciais. Atenção para não deixar que isso gere aglomerações de pessoas, e que seja feito com o máximo de cuidado e distanciamento.

– Identifique famílias com crianças (especialmente muito jovens) e crie uma rede de apoio para cuidar delas caso os pais precisem trabalhar.

  • Crie um canal de comunicação para o seu edifício ou vizinhança

Você pode criar um grupo fechado do Facebook para seu prédio ou área, ou você pode ainda usar o Whatsapp ou o Telegram dentre outras ferramentas.

  • Doe para o seu banco alimentar local e pessoas sem abrigo

Se puder, procure doar para um banco de alimentos local, que os fornecerá às famílias cuja renda é reduzida, ou doar diretamente alguns suprimentos adicionais para abrigos e pessoas sem-teto.

  • Compre dos negócios locais

Essa é daquelas boas práticas que na verdade servem para o ano todo. E nesse período de crise, eles são os que serão mais afetados.

4) Estruture-se e prepare-se para o trabalho remoto repentino, tanto como empresa quanto como indivíduo.

  • Configure a sua estratégia de trabalho remoto

Programe sua equipe para realizar os trabalhos de casa. Reajuste metas, formas de monitoramento, e como mais o seu trabalho pode ter um plano de continuidade diante desse cenário.

Esse guia aqui de como estruturar um trabalho remoto está em inglês, mas é muito bom. Em português, você também pode encontrar conteúdos.

Para quem se interessar, a Santo Caos vai realizar um webinar, no dia 19/03, às 16h, sobre ‘Como manter minha equipe engajada em home-office’, inscreva-se aqui.

5) Ofereça recursos digitais gratuitos

Mobilize a sua e outras empresas para fornecerem recursos gratuitos que possam ajudar indivíduos e famílias a se envolverem em atividades significativas durante o período de quarentena.

Esses recursos podem ser livros digitais, vídeos, ferramentas e cursos on-line.

A Agência de Digitalização do governo italiano se envolveu com empresas para ingressar no Programa de Solidariedade Digital e fornecer recursos gratuitos, como livros, vídeos, ferramentas e cursos on-line. As empresas incluem: Amazon, IBM, AWS, Cisco, Microsoft e Google.

Este é um programa que pode ser replicado em todos os outros países também.

Como manter a chama do Voluntariado na sua empresa?

Grande parte das ações de voluntariado envolvem aglomerações e situações que podem ajudar a propagar o novo corona vírus, portanto, a orientação é adiar todas as ações que envolvam o contato direto entre as pessoas.

Esta é uma grande perda, pois sabemos o quanto a atuação voluntária torna as equipes de trabalho mais integradas, engajadas e colaborativas. Como, então, manter esta chama acesa?

Aqui vão algumas ideias:

  • Promover ações de Voluntariado online ou à distância. Você pode ver algumas ideias neste post e conhecer o depoimento de uma voluntária digital neste podcast.
  • Ao suspender uma ação voluntária que estava prevista, pensar se há outra forma de dar assistência àquele público. Por exemplo: contação de histórias online, aulas de violão via Skype, conversas com idosos por vídeo… seja criativo e aproveite todas as possibilidades da tecnologia!
  • Promover reflexões entre os colaboradores para mantê-los trocando experiências sobre atuação cidadã e protagonismo social. Você pode promover um concurso online de fotos com temas como “o que é o voluntariado pra você”, “qual foi o momento mais marcante que você presenciou como voluntário”, etc. 
  • Promover grupos de debates online. Você pode aproveitar ferramentas como Zoom, Skype e outras para promover encontros virtuais em torno dos mais diferentes temas: Como está sendo conviver com a família dentro de casa? Como evitar distrações e manter a produtividade trabalhando de casa? Como manter as relações sociais em tempos de isolamento forçado? Esses são alguns exemplos, mas você pode observar os temas que mais se façam necessários entre os colaboradores da sua empresa.

No mais, é importante se preparar, pois quando esta fase de isolamento passar a demanda por trabalho voluntário será ainda maior do que antes.

Mantenha a calma

É momento de mantermos a calma, de reavaliarmos nossos padrões de ser e estar na terra, e de percebermos que a humanidade só se mantem quando vive em comunidade.

Essa fase com certeza vai passar e para que seja o mais rápido possível, é necessário que todos façam a sua parte. Ficar em casa é a melhor forma de prevenção, portanto, siga as dicas dos especialistas.

Se os tempos parecem maus, eu preciso ainda assim partilhar a verdade abaixo consigo.

“Diante da vastidão do tempo e da imensidão do universo, é um imenso prazer para mim dividir um planeta e uma época com você.”

Seja como for, nada é por acaso.

(Visited 1.654 times, 1 visits today)
Avatar

Bruno Barcelos

-Quatorze anos de significativa experiência nas áreas de Sustentabilidade, Investimento Social Privado, e Voluntariado, com foco em planejamento, gestão, monitoramento, e avaliação de iniciativas privadas e públicas. Bem como experiência em gestão (estratégica – operacional) empresas e em ONGs e articulação entre parceiros dos setores diversos. Amplo experiência no desenvolvimento de assessorias, capacitações e palestras nos temas acima citados, adicionalmente às expertises em prospecção, atendimento, negociação, venda, e na criação/customização de soluções para empresas de grande, pequeno e médio porte nos temas correlatos.

More Posts - LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.