ODS 4: Como promover voluntariado pela educação em meio à pandemia

Neste artigo trazemos ideias práticas para que as empresas possam promover ações de voluntariado pela educação, em um ano que inicia com as incertezas trazidas pela pandemia, como por exemplo quando e como as aulas voltarão a acontecer.

O número de pessoas impactadas por isso é gigante, e dessa forma, o que não falta é espaço para a sua empresa contribuir, sempre com muito diálogo e compromisso com a causa.

Sobre a relevância do tema

Educação é inexoravelmente a causa mais relevante para os Investimentos Sociais Privados. Como demonstrou o BISC 2019, 63% das empresas de serviços tinham seu investimento social na área da educação, e esse padrão permanece desde 2009, tendo sido 2014 o ano com maior ênfase.

Compõe esses investimentos a maior parte dos programas de voluntariado corporativo levantando também essa bandeira. E com a chegada do período da volta às aulas surge a oportunidade de fazer alguma coisa numa etapa crucial, mas que, em 2021, experimentamos de forma tão singular.

Alguns dados do Censo de 2019

  • 47.874.246 é número de alunos matriculados na Educação Básica no Brasil;
  • 2.212.018 é o número de Docentes;
  • 180.610 é o número de estabelecimentos da Educação Básica.

Desse contingente, até o momento 15 estados brasileiros já trazem alguma perspectiva de volta às aulas, e a maioria fala sobre um retorno paulatino entre fevereiro e março, optando por um ensino híbrido que mescle o online e o presencial. Se quiser um panorama razoável dessa situação veja aqui uma reportagem que explora o assunto de forma mais profunda.


Fonte: Melhor Escola/Uol

Sobre a experiência educacional desde o início da Pandemia

Uma pesquisa da Associação Brasileira de Educação a Distância (ABED) reuniu alunos, responsáveis, professores e gestores da rede pública e privada de ensino para entender a experiência de cada grupo.

Antes de falarmos sobre as ações de voluntariado pela educação, é importante entendermos como tem sido a experiência no formato online, principalmente pelos atores mais afetados: os alunos.

Alguns dados sobre a experiência dos estudantes

  • 67% dos estudantes relataram que a dificuldade em estabelecer e organizar uma rotina diária foi o fator que mais afetou a aprendizagem durante a pandemia;
  • 58,32% dos alunos dizem que o excesso de material enviado pelas escolas foi o que dificultou a aprendizagem no período de isolamento;
  • 4 em cada 10 entrevistados relataram estar sobrecarregados com a rotina de casa;
  • Aulas online ao vivo ou as gravadas, materiais digitais em PDF e outros recursos como os vídeos foram algumas das estratégias utilizadas para suprir o contato diário e dar seguimento aos estudos;
  • Sobre a qualidade do acesso à internet, 63,53% dizem ter banda larga ilimitada e 25,80% utilizam de terceiros;
  • 29% dos alunos possuem um notebook ou computador disponíveis para estudar;
  • 72% dos estudantes consideram que a qualidade das aulas remotas piorou quando comparadas às presenciais.

Os professores e toda a equipe escolar tiveram que se adequar à realidade do COVID 19. E não só eles, mas também os pais e toda rede envolvida.

3 possíveis ações integradas com os municípios

Considere os planos de ação para além das ações pontuais paliativas, e a iniciativa da sua empresa pode trabalhar desde o início do ano de forma alinhada e integrada com os planos de educação que cada gestor escolar precisa colocar na rua.

Isso mesmo: esboçar um conjunto de ações articuladas com o que será proposto pelo poder público local.

Para isso seguem 3 direcionamentos:

1) Contribuir para um plano de manutenção e melhorias na infraestrutura das escolas da rede pública

Em sintonia com as secretarias de educação, o seu programa de voluntariado empresarial pode propor mão de obra qualificada e apoios específicos pontuais, mesmo que com doação de recursos, para as melhorias de infraestrutura que, conforme mapeamento, pode-se pretender realizar.

2) Incrementar o processo de melhorias na proposta pedagógica das escolas

Pode-se nesse caso, enquanto apoio externo de um programa de voluntariado, buscar aumentar o tempo da jornada escolar, facilitando por meio dos recursos do seu programa um diálogo constante com as comunidades escolares, e proporcionando ações integrativas e formativas no contraturno escolar, que ampliem a jornada, e possibilitando que os estudantes passem mais tempo aprendendo e se desenvolvendo. Focar em atividades concretas do dia a dia, ou em competências que serão utilizadas pelos mesmos na sua vida profissional pode ser um diferencial.

3) Incorporar inovações pedagógicas que façam das escolas ambientes realmente engajadores

Propor com os voluntários ações para que o ambiente escolar seja cada vez mais aderente às características do mundo atual por meio de programas e métodos de aprendizado que interajam com a tecnologia, propiciem esse contato com realidades tecnológicas avançadas e criativas, obviamente, sempre em consonância com a proposta pedagógica.

Todos Pela Educação

O movimento Todos Pela Educação lançou a iniciativa: “Educação Já Municípios”, que contém um documento de recomendações para o plano de reabertura das escolas, e a websérie homônima, para apoiar as gestões municipais a garantir um ensino público de qualidade às crianças e aos jovens do Brasil.

As ações propostas nesse documento, podem te ajudar muito a construir iniciativas para o seu programa, integradas com os planos de educação das prefeituras. E as 3 dicas que pensamos acima foram inspiradas nos documentos disponibilizados.

“O caminho para erguer o nosso País e levar prosperidade aos brasileiros começa nas gestões municipais, berço da Educação. Para apoiar os Municípios nas difíceis tarefas que os aguardam, o Todos Pela Educação lançou um movimento inédito de apoio aos 5568 prefeitos e prefeitas eleitos. Nesta página especial reunimos tudo que gestor e equipe educacional precisam para fazer um plano para a Educação de qualidade!” (Todos pela Educação).

6 ideias para ações mais simples

Por outro lado, se você já tem contato com um público de estudantes, seja por meio de uma escola pública, de uma outra instituição, em apoio a famílias de uma comunidade parceira ou mesmo os filhos dos seus colaboradores, seguem 6 ideias mais simples de ações para volta às aulas:

1) Promova campanhas online de arrecadação de materiais escolares

O ano está em decolagem, as aulas já vão começar, e uma realidade é: alguns alunos bem perto de você não têm um material escolar adequado. Agora, principalmente, os recursos digitais para as aula onlin.

Comece garantindo que os filhos dos seus colaboradores tenham esse apoio, em seguida vá ao encontro das crianças e adolescentes da sua comunidade/instituição/escola parceiras.

Aqui tem um post só sobre campanhas de arrecadação de material escolar. Mas atenção: tudo precisa acontecer sem gerar aglomeração, colocar as pessoas em risco, e o mais online possível. Por isso todo o processo de articulação, mobilização, sensibilização e reporte precisa ser o mais digital que se conseguir, deixando para a logística de entrega uma inteligência do menor contato pessoal realizável.

2) Doe livros e promova contação de histórias

Doe livros e faça sessões de leitura online contando com a habilidade e disponibilidade dos seus voluntários para tal. Você também pode propor a leitura conjunta, dando espaço para a interpretação criativa dos pequenos, estimulando e divulgando de forma online, por meio de vídeos e ilustrações, a interação sensível das crianças com as histórias.

3) Promova workshops de organização da vida diária para os estudos

Uma vez que esse é dos fatores que mais afetaram os estudantes e professores em 2020. Pense como esses recursos de gestão de tempo e tarefas utilizados dentro da sua empresa podem ser transpostos para a melhoria do ambiente, e para as práticas, de estudo.

4) Promova conteúdos e palestras sobre organização de excesso de conteúdos

Possibilitando competências por exemplo para leituras dinâmicas, conhecimento de métodos de estudos, e priorizações. Essa dica está muito relacionada à anterior.

5) Garanta infraestrutura tecnológica

Para dentro de um território ou de instituição, você pode possibilitar, ou garantir, redes de qualidade de internet, e partilha de materiais de estudo como tablets e notebooks individuais.

6) Possibilite formação para utilização de ferramentas de EAD

Tente incluir toda a comunidade escolar, ou foque nos alunos e professores, para que o dia a dia online fique mais aliviado. Quanto mais pessoas aptas para se relacionar com as tecnologias, mais os ambientes virtuais fluirão, deixando tempo livre para o que interessa: o aprendizado.

Enquanto empresa, é importante ser um facilitador desse processo de volta às aulas.

A ausência à escola pode trazer inúmeros efeitos maléficos tais como o abando escolar, que já era de 20% entre os jovens de 14 a 29 anos, a má nutrição,  ou mesmo uma maior exposição a situações de abuso e violência.

E isso é só a ponta do iceberg!

Por isso vamos lá, a causa não é só nobre, é urgente.

Mexa-se e não perca tempo.

(Visited 203 times, 1 visits today)
Bruno Barcelos

Bruno Barcelos

Quatorze anos de significativa experiência em gestão de projetos nas áreas de Sustentabilidade, Investimento Social Privado, e Voluntariado, empreendidos por iniciativas privadas e públicas. Além de experiência em gestão de empresas e em OSs, bem como a articulação entre parceiros dos setores diversos. Ampla experiência no desenvolvimento de assessorias, capacitações e palestras nos temas acima citados para empresas de grande, pequeno e médio porte.

More Posts - LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.