Relatório UNV 2022: 5 dicas para mudar o mundo

O Programa de Voluntários das Nações Unidas publicou o seu “Relatório de Estado do Voluntariado no Mundo 2022“. Aqui chamamos de relatório da UNV 2022, que neste ano tem como foco: criar sociedades igualitárias e inclusivas.

Neste post ressaltamos os principais pontos levantados pelo documento, e como o seu programa de voluntariado pode atuar com base nestes dados.

O relatório UNV 2022 e a força do voluntariado para a Agenda 2030

Segundo o informe, o voluntariado é uma força poderosa e essencial para a sociedade. Em escala global, ele continua a ser um meio fundamental para promover o desenvolvimento sustentável.

Vivenciamos um momento no qual países e regiões estão enfrentando desafios assustadores e nenhuma parte interessada pode enfrentá-los sozinho. Por esse motivo, as alianças são fundamentais.

Apesar disso, a materialização da contribuição do voluntariado para a Agenda 2030 ainda é uma questão pendente.

“No contexto do século XXI e dos desafios que ele acarreta como maior desigualdade, a emergência climática e a pandemia, o voluntariado é frequentemente apresentado como um ativo global e local, que pode ajudar a identificar e alcançar objetivos de desenvolvimento por meio de relações centradas nas pessoas. Ele influencia na construção de um futuro melhor e na transformação dos sistemas econômicos, políticos, ambientais ou sociais, principalmente neste momento, com fragilidades na saúde, bem-estar e emprego em evidência.

Dados do voluntariado no relatório UNV 2022

– Número e distribuição de voluntários por região no globo

– Taxas de voluntariado anual e mensal, dentre a população com idade laboral, nas diversas regiões do globo:

– Percentual de voluntariado por sua classificação de forma: formal ou informal

– Taxas de voluntariado formal e informal por recorte de gênero:

Relatório UNV 2022 e a parceria entre voluntários e o Estado

Nesta última edição, o relatório investiga as maneiras pelas quais as parcerias entre voluntários e o Estado podem ajudar a resolver os problemas sociais. Seja desempenhando papéis em tomadas de decisões locais participativas ou na coprodução de serviços e soluções inovadoras para as comunidades.

Ajudando a responder às demandas comunitárias, o relatório da UNV assume que o voluntariado ajuda a criar sociedades mais igualitárias e inclusivas. Quando melhoramos as relações de parceria entre poder público e cidadãos, mais inclusivo será o desenvolvimento e os acessos aos direitos fundamentais.

Principais conclusões do relatório da UNV 2022

– O voluntariado pode fomentar uma cultura baseada na tomada de decisão conjunta

Os voluntários ajudam a definir e priorizar as questões que são importantes para eles e para as suas comunidades. E ao alinhar suas prioridades com as de seus governos, eles contribuem para resultados mais efetivos.

Graças às aspirações dos voluntários por uma melhor governança pública, que seja compromissada com a inclusão e com a participação, o voluntariado pode ajudar a estabelecer uma cultura de tomada de decisão conjunta e participativa, ocupando o seu lugar de cidadão ativo.

– O voluntariado pode mudar as relações assimétricas de poder.

Os voluntários podem modificar, desmistificar e transformar as relações assimétricas de poder que possam existir entre cidadãos comuns e autoridades estatais.

Com o apoio certo, podem desempenhar papéis mais ativos e reivindicar seu lugar de direito na sociedade.

Com isso, o voluntariado auxilia os cidadãos a se apoderarem das agendas de desenvolvimento local, incluindo-as para si e fazendo da governança pública uma prática inclusiva para todos.

O voluntariado abre caminhos para a participação .

Diante de problemas complexos, os voluntários têm diferentes causas para abraçar, atuar e defender, e para isso, também têm diversos canais para exercê-lo.

Apesar dos caminhos do voluntariado serem louváveis, segundo o relatório, a participação permanece desigual. Tal fato deve-se a alguns grupos que ainda têm poucas oportunidades de participar do voluntariado.

O relatório cita o exemplo das mulheres do Sul Global que enfrentam desafios específicos para se manterem engajadas, diante de muitos papéis sociais que precisam exercer para sobreviver e cuidar das famílias.

O voluntariado constrói pontes.

Os voluntários, muitas vezes, ocupam uma posição como intermediários nas relações, permitindo que atuem como mediadores entre grupos marginalizados e autoridades estatais.

Recomendações do relatório UNV 2022

O Relatório da UNV 2022, conclui com recomendações importantes que podem orientar os formuladores de políticas em prol da Agenda 2030, e da criação de sociedades mais inclusivas e igualitárias.

Com a atenção para as seguintes áreas:

  • Enfrentar as barreiras persistentes que grupos marginalizados enfrentam para serem voluntários, incluindo desigualdades de gênero no voluntariado que foram identificadas pelo relatório;
  • Ampliar o apoio e o reconhecimento das contribuições dos voluntários informais;
  • Potencializar e aproveitar o inestimável conhecimento, habilidades e experiências dos voluntários em função dos ODS;
  • Fomentar a inovação social entre os grupos marginalizados;
  • Criar meios para melhor aproveitar novas parcerias por meio do voluntariado, parcerias essas que são um elemento crítico no apoio ao alcance dos ODS.

Costuma-se dizer que o que não é contado não conta. Como os dados sobre o voluntariado são atualmente escassos e muitas vezes inadequados, é necessário investir na medição e fornecer apoio à pesquisa sobre o voluntariado para preencher essa lacuna.

O relatório afirma que com as políticas e os apoios corretos, podemos aproveitar e conhecer totalmente o potencial do voluntariado na contribuição para um futuro comum, igual e inclusivo para todos.

O que as empresas podem fazer com seus programas de voluntariado?

Diante dos pontos de atenção concluídos no relatório da UNV 2022, sugerimos cinco ações que os programas de voluntariado corporativo podem desenvolver para colocar em prática todo o potencial do voluntariado para o atingimento da Agenda 2030.

5 ideias que você poderá aplicar em sua empresa

1) Desenvolver projetos de mulheres e para mulheres

Desenvolver projetos estimulando a maior participação de mulheres, sejam voluntárias, parceiras ou público-alvo.

A sua empresa pode fortalecer o desenvolvimento, a aceleração, e a estruturação de iniciativas femininas que estejam informais e não sistematizadas em uma comunidade.

Segundo o relatório, as mulheres estão mundialmente mais engajadas com o apoio informal, uma vez que, se encontram sufocadas entre inúmeros papéis que exercem.

Desenvolver ações de empoderamento, e de melhoria da qualidade de vida das mulheres ajuda a desafogá-las para o exercício dos seus direitos com cada vez mais potencial.

Se projetos desse tipo forem de mulheres voluntárias para mulheres beneficiárias: melhor ainda.

2) Integrar outros públicos que já atuam informalmente

Ampliar o apoio e o reconhecimento das contribuições dos voluntários informais dando espaço para outros públicos participarem do programa de voluntariado formal.

Incluir públicos que não enxergam possibilidades de participar de iniciativas mais estruturadas em projetos formatados e bem geridos do voluntariado corporativo, estimula um reconhecimento e aumenta a sua vontade de ajudar. Isso ocorre devido ao fato da maioria das pessoa realizar entreajuda de maneira não sistematizada.

Projetos de engajamento comunitário para causas locais, em geral, tem o potencial de fazer isso: promover que pessoas de uma mesma comunidade possam unir os seus esforços em projetos e planos de ação com começo, meio e fim; com mais recursos; com monitoramento e um senso de propósito em comum.

3) Promover ações de voluntariado de competências com foco nos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS)

Potencializar e melhorar o inestimável conhecimento, habilidades e experiências dos voluntários em função dos ODS.

Alinhar os projetos de voluntariado aos ODS tem sido parte dos esforços dos programas de voluntariado corporativo. Porém, o conhecimento sobre o assunto, ainda é inicial e precisa ser promovido.

Veja aqui num dos nossos posts um texto com sugestões de ações para cada um dos ODS.

E ainda:

4) Proporcionar inovação com a participação de grupos marginalizados.

Promover a inovação por meio do fomento, escuta e participação de grupos marginalizados, possibilitando que os cidadãos beneficiários façam parte do processo de busca de solução para as suas questões, facilitados por metodologias de criação e inovação que a sua empresa pode estimular.

5) Realizar ações em parcerias entre empresas e instituições

Criar meios para melhor aproveitar novas parcerias por meio do voluntariado, parcerias essas que são um elemento crítico no apoio ao alcance da Agenda 2030.

Cada vez mais empresas unem esforços para projetos em comum, unindo seus recursos e competências em projetos e ações de voluntariado partilhadas.

Buscar essas parcerias entre instituições privadas e públicas é o caminho para fortalecer a rede de assistência e desenvolvimento social, diante dos desafios que enfrentamos e ainda enfrentaremos.

Gostou do conteúdo?

Se você também leu o Relatório do Estado do Voluntariado no Mundo 2022 e tem outros insights para compartilhar conosco, não deixe de fazê-lo! É juntos que vamos alcançado melhores saídas e gerando maior transformação, e fortalecimento da agenda do voluntariado corporativo.

Um comentário sobre “Relatório UNV 2022: 5 dicas para mudar o mundo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.