Como usar a Pesquisa Voluntariado no Brasil para aprimorar seu Programa

 

O que a Pesquisa Voluntariado no Brasil-2021, que foi lançada recentemente (abril/2022),traz de informações sobre o voluntariado empresarial?  

Considerando a riqueza e atualidade dos dados apresentados para os gestores, defensores, e promotores do voluntariado, temos trabalhado os resultados da pesquisa em posts diferentes.

Este post visa extrair dados da pesquisa que possam inspirar os gestores de impacto social e trazer ideias sobre como usar essas informações para aprimorar os Programas de Voluntariado Empresarial. 

Vamos lá?

O voluntariado empresarial na Pesquisa

De acordo com a pesquisa, 15% dos voluntários atuam em projetos de voluntariado organizados por empresas,

De acordo com a pesquisa:

  • 15% dos voluntários atuam em projetos de voluntariado organizados por empresas
  • 67% que trabalham por conta própria.
  • O segundo tipo de CNPJ que mais mobiliza voluntários, são as instituições religiosas, com 10% do resultado

O voluntariado empresarial vem crescendo em números nos últimos anos – em termos macro. De acordo com aos últimos dados da pesquisa BISC (Benchmarking do Investimento Social Corporativo), a maior parte das empresas respondentes (86%) possui um programa formal de voluntariado.

O número de colaboradores envolvidos nesta atividade chegou aos 69.747 (2021) e 41.675 (2020) nos últimos dois anos, e o decréscimo no período tende a ser relacionado com os efeitos da pandemia sobre o voluntariado coletivo e presencial.


(Os gráficos aqui apresentados pertencem à fonte: Pesquisa Voluntariado no Brasil)

O número de participações em ações de voluntariado empresarial é também um dos principais indicadores que as empresas reportam sobre estes projetos em seus relatórios anuais, junto com o número de horas dedicadas (segundo a pesquisa, o número médio de horas dedicadas é de 21,2 horas mensais).

Algumas reflexões

Em um aprofundamento, faz-se necessário apurar os critérios de quantificação de participação voluntária, quando, por exemplo, uma pessoa que atua de forma contínua por meio da partilha de suas competências, não pode ser comparável com aquela que doa uma caixa de leite.

Sem desmerecer as ações de doação em relação às de continuidade, e sabendo que ambas são complementares, contabilizar o número de participação voluntária de maneira coerente, dentro dos programas das empresas, ainda é um desafio.

Um outro exemplo deste desafio é que existem empresas que contabilizam e mantém a sua base de voluntários com pessoas que participaram em pelo menos uma ação nos últimos X anos, enquanto outras, mantém a sua base limpa anualmente, e sendo assim, ambas as bases não são comparáveis, pois representam um racional diferente de acúmulo de indivíduos.

Já trabalhei em empresas cuja base de voluntários tinha um percentual de voluntários inativos, nos últimos dois anos, maior do que a base ativa.

Quantos voluntários afinal teria o programa desta empresa?

É necessário criar uma referência de percentual de participação voluntária na empresas, já que as mesmas ainda entendem que reportar esses números diz algo sobre a qualidade do programa.

Grau de instrução no voluntariado empresarial

“São observadas diferenças por grau de instrução: pessoas com grau de instrução menor, ensino fundamental e médio, e pertencentes a classe C, D/E. As pessoas com grau de instrução superior destacam-se no voluntariado empresarial(Pesquisa Voluntariado no Brasil-2021), com o maior percentual de participação, 22%, representado por pessoas com ensino superior. 

Enquanto 81% dos respondentes com ensino fundamental e 73% com ensino médio dizem fazer voluntariado por conta própria.

(Os gráficos aqui apresentados pertencem à fonte: Pesquisa Voluntariado no Brasil)

O perfil do voluntário no voluntariado empresarial

O perfil dos voluntários, no voluntariado empresarial, acompanha em igualdade os percentuais de gênero do voluntariado total, sendo 48% homens e 51% mulheres. Em termos de idade, os voluntários em contexto empresarial estão na casa dos 45 a 59 anos, com grande oportunidade para aprendermos a estimular os mais jovens no processo, e também aproveitar o conhecimento daqueles que caminham para a aposentadoria.

Por fim, em termos de cor e raça, os voluntários do segmento empresarial são maioritariamente brancos (50%), sendo que no voluntariado total esse número é invertido.

Jovens no Voluntariado

Sobre os jovens, faço duas perguntas sobre esse público que cada vez mais está sensibilizado para as questões socioambientais, e para como as empresas se posicionam:

1)      Como aproveitar esses anseios dos jovens de se engajarem com empresas de propósito, nos números finais de participação voluntária?

2)      Será que os programas de voluntariado empresarial estão considerando e incluindo os desejos, jeito e competências de participação dos mais jovens?

Por fim, em termos de cor e raça, os voluntários do segmento empresarial são maioritariamente brancos (50%), sendo que no voluntariado total esse número é invertido.

Público e área de atuação

A maioria dos respondentes, 37%, diz atuar com o público em geral, ou seja: “venha quem vier, estamos disponíveis para trabalhar em conjunto”.

Nas causas específicas, o voluntariado empresarial se destaca por um foco maior em crianças e adolescentes (32%), e, depois, em menor escala, no trabalho com jovens (20%) e adultos (22%). Quando se avança para a terceira idade, o percentual do voluntariado empresarial reduz em relação ao número total.Há também uma causa em que o voluntariado total é sensivelmente maior do que no voluntariado empresarial: que é a causa animal. Apesar disso, nos contatos diários com as empresas, é possível perceber uma inclusão crescente das causas animais dentro do investimento corporativo.

Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS)

Por falar em causas, observa-se de forma global uma oportunidade de crescimento e apropriação sobre os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável.

Enquanto cada vez mais os programas buscam se alinhar às metas da Agenda 2030, é possível perceber um gap no entendimento deste alinhamento por parte dos voluntários.

Já que 68% ainda diz não conhecer os ODS contra 32% que diz já saber do que se tratam, demonstrando uma oportunidade de desenvolver o assunto junto aos colaboradores, marcando, inclusive, o posicionamento da empresa diante das temáticas de desenvolvimento sustentável.

5 dicas práticas para aprimorar seu Programa

Então, como os resultados da pesquisa podem potenciar ações práticas no dia-a-dia da sua empresa?

Observamos algumas oportunidades de ação, como por exemplo:

1) Oportunidade de engajamento de um público maior:

Se por um lado o número de brasileiros voluntários ativos gira pela casa dos 20 milhões, existe aí um público potencial, que ainda não foi alcançado pelos benefícios do voluntariado empresarial, e que, se tiverem acesso às possibilidades de engajamento e participação, com certeza farão parte do time de colaboradores participativos.

2) Trabalho direcionado para faixas etárias diferentes

Como a média dos voluntários nas empresas gira entre 45 a 59 anos, há a oportunidade de desenvolver projetos de engajamento para os mais jovens, sendo aqueles que acabam de ingressar na empresa, seja durante o processo de recrutamento, seja como forma de reconhecimento e crescimento na carreira.

Ao mesmo tempo, há o lindo potencial de aproveitar o imenso conhecimento daqueles que caminham para a aposentadoria, em um projeto que englobe os aposentados ou pessoas em vias de.

3) Trabalhar as temáticas da Educação (ODS4) e Empregabilidade (ODS8)

As ações de voluntariado podem fortalecer um ciclo virtuoso pela melhoria dos indicadores de educação e empregabilidade. Assim será possível aumentar o grau de instrução das pessoas que tem um trabalho formal, e que estarão mais estruturadas para as crises, mas também para ajudar outras pessoas por meio do voluntariado.

Existem programas inteiramente voltados para essa temáticas, focar em projetos pela educação e geração de renda, com certeza, te faz alinhado às necessidades sociais do momento.

4) Trabalhar o engajamento do público masculino

Como o voluntariado empresarial acompanha em igualdade os percentuais de gênero do voluntariado total, ou seja: a maioria da participação é das mulheres, pode ser que esteja na hora do seu programa pensar em alternativas para incluir e vincular um pouco mais o “clube do bolinha”.

Começando por um racional de gênero mais conservador, você pode estimular a participação dos homens com temas como, por exemplo, um torneio de futebol solidário, uma campanha para o novembro azul, ou mesmo evoluindo o voluntariado para ciclos de sensibilização para questões contemporâneas como masculinidade tóxica, paternidade, e diversidade.

5) Um projeto de comunicação e educação para os ODS

A pesquisa mostra uma necessidade de aumentar o conhecimento dos colaboradores sobre os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. E essa pode ser até a causa do seu programa de voluntariado:

“proporcionar que colaboradores, parceiros e comunidades conheçam as metas da Agenda 2030 e se envolvam em projetos estruturados para tal”.É possível que um ou mais ODS sejam o ponto de partida para toda a sua estratégia de ESG ou voluntariado: basta reforçar e colocar os seus conceitos, imagens e referências em todo o processo de comunicação, já que quanto mais pessoas se envolverem com a Agenda 2030, mais próximos estaremos de alcança-la.

Bom trabalho!

Espero que esse estudo sobre a Pesquisa Voluntariado no Brasil tenha ajudado, a você, gestor, ou voluntário, a pensarem alternativas que qualifiquem e potenciem ainda mais o programa de voluntariado da sua empresa.

Tem alguma sugestão, ou dúvida? Mande uma mensagem por aqui!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.