Retrospectiva 2020: relembre os principais conteúdos que produzimos no ano da pandemia

O ano de 2020 marcou como “o ano que não foi fácil para ninguém” e nos demanda resiliência até aqui, na sua retinha final. É fato que acabamos mais um ciclo, alguns, aos trancos e barrancos. Mas sob o convite de olharmos para trás com carinho, perceberemos que fizemos muitas coisas juntos! Muitas mesmo! E cada pequeno esforço nesse contexto de adversidades precisa ser valorizado.

Esse post aqui é para trazer à luz um pouco do que se passou por nosso blog durante esse ano, para que você tenha a chance de perceber um pouco mais da onda solidária que abraçou o Brasil e o planeta durante 2020, o ano no que nos chamou à união.

Sobre o que falávamos antes da pandemia?

Mesmo antes do começo da pandemia, já estávamos envolvidos ao máximo na tarefa de instrumentalizar os gestores de voluntariado com as melhores informações e ferramentas possíveis, com a missão de contribuir com a boa gestão de seus programas.

Educação

Começamos 2020 falando sobre a importância de persistir na arrecadação de material escolar, pois com a corrida do início às aulas, e mesmo sendo a educação pública uma questão estrutural que prescinde de atenção sistêmica e profunda, as ações rápidas e pontuais ainda são paliativos necessários para o dia a dia dos nossos estudantes da rede pública brasileira.

Também falamos sobre os  esforços coordenados pela educação, em sintonia com o ODS número 4. Como demonstrou o BISC 201963% das empresas de serviços tinham seu investimento social na área da educação, e esse padrão permanece desde 2009.

Fazendo um parênteses, para 2021 os desafios em ações pontuais parecem ser no sentido de possibilitar ao máximo a inclusão digital, o acesso às aulas e recursos didáticos considerando o contexto de distanciamento social. Além disso, fazer o material escolar chegar de forma descentralizada, diretamente às famílias, sem gerar aglomeração.

Cases e aprendizados

Ainda em 2020, aprendemos bastante com o caso da Vallourec, sobre o quanto o diálogo com a comunidade merece atenção nos processos de mobilização local, e pegando carona no assunto falamos também sobre como realizar jantares comunitários, que dentre outros benefícios, pode aproximar diversos atores e parceiros que convivem num mesmo território. Sempre com o objetivo de proporcionar que o voluntariado deixe um legado, como bem nos explicou nossa querida professora Flávia Moraes.

Ainda antes da pandemia se instaurar, falamos sobre o importante case da Formare e Santos Brasil sobre empregabilidade e voluntariado, apresentamos 5 práticas para transparência na gestão de projetos sociais, qualificando assim também a gestão de organizações sociais, e demos um “zoom aquático” sobre o ODS 6: como o voluntariado pode apoiar a gestão sustentável da água.

Nenhum desses assuntos deixou de ser relevante, o ponto é que a partir de março fomos convidados a revisitar nossos desafios sob uma outra lupa, a da emergência.

O que fazer diante do desconhecido?

Eu não sei se é certo falar que se tratava (trata?) da sobrevivência da espécie humana, mas foi essa a sensação instaurada a partir de março de 2020.

Todos paramos para compreender o que estava acontecendo, o que era o Coronavírus e como se proteger e reagir adequadamente.

A eficiência na resposta e apoio do voluntariado

Enquanto pensávamos e analisávamos tudo isso, sob um piscar de olhos os voluntários já estavam na linha de frente, ajudando informalmente como podiam, as pessoas mais vulneráveis de suas comunidades.

E ganhando força com esse protagonismo, os Programas de Voluntariado Corporativo vieram atrás, dando suporte para esses cidadãos que simplesmente não poderiam e não iriam ficar parados diante da necessidade.

E foi assim, bolando alternativas para um isolamento social mais produtivo e são, ou alternativas para apoio aos esforços na área da saúde, e no amparo aos públicos mais em risco, que o voluntariado informal e formal foi se mexendo.

Conteúdos relacionados

Por aqui no blog começamos a partilhar algumas respostas às perguntas que chegavam: o que posso fazer? Protagonismo social em tempos de Coronavírus: como ajudar no controle da pandemia.  E foi importante pensar e conversar muito com nossos parceiros para falarmos algumas alternativas sobre engajamento em tempo de crise.

Fizemos muito desse diálogo ao vivo, por meio de Webnars, que se tornaram a alternativa mais viável e profícua de partilhar informações. Em 25/03/2020, eu, a Giuliana Preziosi (sócia-diretora da Conexão Trabalho) e a Samantha Jones, diretora de Inovação do V2V, conversamos junto a uma audiência preocupada em saber “como agir” sobre o papel do voluntariado na luta contra a pandemia.

Parcerias e aprendizado conjunto

Assim, aprender juntos foi o mote desse processo vivido passo a passo.

Pudemos aprender com o potencial da mobilização social nas favelas junto com Paraisópolis, e aprender como atuar nesse contexto onde tudo sobre a pandemia fica mais grave: da dificuldade no distanciamento, nas condições sanitárias e de acesso aos serviços de saúde, e na própria subsistência diante de uma economia que parava.

Mais tarde a forma de reação das favelas veio se tornar até uma publicação do Conselho Brasileiro de Voluntariado Empresarial, o CBVE.

Tivemos ainda o apoio do Adriano Andreghetto ajudando a pensar em como evitar o desperdício de alimentos em tempos de quarentena, um debate em como prestar apoio emergencial em tempos de pandemia com Vivian Ramos da CDM e o Pedro Ronan da Argilando, o Flávio Seixas falando sobre saúde mental no contexto de isolamento, a nossa Samantha Jones trazendo um mega apanhadão, muito necessário, de como promover Voluntariado Empresarial durante a quarentena, a Amanda Aragão partilhando sobre como a questão da valorização da diversidade ajuda a fortalecer os valores humanos essenciais, e trazendo um exemplo de como o voluntariado digital poderia funcionar na prática, a Natália Kelbert partilhou o sucesso do caso da ViacomCBS no Virtual Community Day.

Aliás, quantos parceiros! Gostaria de aproveitar a oportunidade e agradecer a todos, se não fosse por vocês, e pelo esforço de cada um, não teríamos conseguido fazer tanto. Até um olhar português sobre a questão nós tivemos! Com o amigo Afonso Borga trazendo o seu olhar sobre o voluntariado de competências nesse momento.

Apoio na atividade econômica

A pandemia junto aos seus efeitos no desenvolvimento econômico ajuda a tirar o sono, principalmente das micro empresas.

A falta de uma direção a seguir deixa os empreendedores e os colaboradores inseguros em seus postos de trabalho, e alguns efeitos disso foram sendo sentidos.

E pensando nisso produzimos conteúdo direcionados ao fortalecimento do ODS 8: “Promover o crescimento econômico sustentado, inclusivo e sustentável, emprego pleno e produtivo e trabalho decente para todos e da responsabilidade social junto aos pequenos negócios.

Voluntariado Digital

O Voluntariado digital nunca esteve tão em pauta. Durante esse ano, muitas vezes foi a única solução para viabilizar ações sociais de apoio a instituições e pessoas.

Por isso realizamos muito voluntariado digital, e conseguimos dar muitas dicas de como realizá-lo. Sem perder de vista a dimensão crítica, e de constantemente pensarmos em como qualificá-lo.

O que vem em 2021? Tendências da RSC e Voluntariado Empresarial

Pensando então em como caminhar para o ano que nos bate à porta, pudemos pensar juntos sobre os próximos passos em uma Mesa redonda que aconteceu no dia 16 de dezembro, com o objetivo de fecharmos o ano com a seguinte mensagem.

reconhecendo todos os esforços válidos até então e planejando uma reação mais consciente para o próximo ano, com mais racionalidade, assertividade e não menos solidariedade.

A palavra para o ano que inicia já já é foco: pensar estratégico sobre uma questão real e possível.

Qual o seu foco para 2021?

E qual o seu balanço do ano que passou? Fale com a gente, não deixe de partilhar.

Do “lado de cá”, como o tempo é um suspiro, nos vemos em breve com muitos conteúdos que possam apoiar nosso próximo ciclo. Certamente estaremos juntos

Mas se me permite um conselho, antes disso, descanse! Respire, e pegue leve. Porque o ano que termina, não foi fácil para ninguém.

Portanto se permita o justo repouso dos heróis.

(Visited 86 times, 1 visits today)
Bruno Barcelos

Bruno Barcelos

Quatorze anos de significativa experiência em gestão de projetos nas áreas de Sustentabilidade, Investimento Social Privado, e Voluntariado, empreendidos por iniciativas privadas e públicas. Além de experiência em gestão de empresas e em OSs, bem como a articulação entre parceiros dos setores diversos. Ampla experiência no desenvolvimento de assessorias, capacitações e palestras nos temas acima citados para empresas de grande, pequeno e médio porte.

More Posts - LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.